ACLP Doutorado – Constante do APCN

 

ÁREAS DE CONCENTRAÇÃO E LINHAS DE PESQUISA

CONSTANTES DO APCN DO DOUTORADO

 

1.  Área de Concentração: Agroecologia

                 Agroecologia ou ecologia da agricultura é definida como o estudo de fenômenos ecológicos que ocorrem nos campos de culturas, nos sistemas de criação animal e nos sistemas florestais manejados por humanos. Procura incorporar a visão moderna das interações ecológicas, enfatizando interações positivas como um aspecto fundamental da produtividade dos ecossistemas agrícolas, valorizando as dimensões energética, ambiental, social, econômica e cultural dos Agroecossistemas. O desempenho socioambiental dos Agroecossistemas é avaliado a partir da investigação da qualidade das relações que seres humanos estabelecem com o meio físico na gestão dos processos produtivos.

 1.1  Linha de Pesquisa: Processos produtivos agroecológicos

                 Busca-se aliar o desenvolvimento de novas técnicas e procedimentos com a investigação dos fatores ecológicos envolvidos no manejo dos recursos produtivos e seus impactos ambientais. Os estudos aqui realizados buscam alternativas dentro do uso de princípios agroecológicos. O impacto dos processos produtivos, suas externalidades ambientais e os serviços ambientais e agroecossistêmicos também são estudados.

 1.2 Linha de Pesquisa: Etologia e Bem-estar animal

                 Em resposta a uma demanda ética da sociedade surgiu a necessidade de avaliar e, quando pertinente melhorar, o bem-estar dos animais criados com fins zootécnicos ou simplesmente manejados por humanos. O estudo científico do bem-estar deve ter como base a Etologia. As soluções para o bem-estar animal, além da base científica, precisam considerar o desempenho econômico do sistema, o bem-estar das pessoas envolvidas no processo – condições de trabalho dos agricultores, saúde e acesso a alimentos de qualidade e em quantidade adequadas para o consumidor – e sustentáveis do ponto de vista ambiental – favorecendo sistemas que diminuam a dependência de insumos não renováveis e externos ao estabelecimento rural e não poluam o ambiente. As pesquisas desenvolvidas nesta linha de pesquisa são baseadas nessas premissas.

 1.3 Linha de Pesquisa: Manejo da agrobiodiversidade e recuperação ambiental

                 Esta linha de pesquisa tem por objetivo compreender as relações entre populações humanas e a agrobiodiversidade visando a promoção de estratégias para a sua conservação e uso, bem como a recuperação ambiental. Engloba a variedade e diversidade de plantas, animais e microorganismos que são necessários para sustentar os processos dos ecossistemas agrícolas. Busca-se aliar o desenvolvimento de novas técnicas e procedimentos com a investigação dos fatores ecológicos envolvidos no manejo dos recursos produtivos. A recuperação ambiental exige uma abordagem interdisciplinar e auxiliada por um modelo que envolva os componentes do sistema degradado como o solo, a vegetação, a fauna, a água, o microclima, o homem e o ambiente.

 2.  Área de Concentração: Desenvolvimento Rural Sustentável

                 A problemática central desta área de concentração gira em torno da compreensão sistêmica das condições que tornam possível a formação e a consolidação progressiva de dinâmicas de desenvolvimento rural, analisando o seu grau de sustentabilidade nas esferas econômica, social e ambiental, seu grau de autonomia e sua imbricação com escalas superiores de organização e gestão. Esta compreensão pressupõe que se leve em conta um conjunto multidimensional e interdependente de fatores sociais, econômicos, técnicos, ambientais, culturais, institucionais e políticos. Neste sentido, as análises devem priorizar a identificação, não só dos aspectos favoráveis, mas também dos fatores restritivos e/ou limitantes à promoção do desenvolvimento rural sustentável, associadas a dinâmicas organizativas específicas da sociedade civil, do mercado e do Estado, ressaltando suas interações.

 2.1 Linha de Pesquisa: Agricultura, atores sociais e novas ruralidades

                 Esta linha de pesquisa objetiva, fundamentalmente, estudar temáticas que articulam as noções de desenvolvimento, agricultura, atores sociais e as diferentes formas de manifestação social e econômica das novas ruralidades. Visa a produção de conhecimento teórico-metodológico e a realização de pesquisas aplicadas e orientadas no sentido de subsidiar o esforço de planejamento e gestão de dinâmicas locais e regionais, procurando dar conta das complexas interações entre o rural e o urbano, como também das mudanças sociais, demográficas e culturais em curso nos territórios rurais, processos que acarretam redefinições nos perfis identitários dos diversos grupos sociais, com implicações importantes na sucessão profissional na agricultura e nas estratégias de desenvolvimento rural.

 2.2 Linha de Pesquisa: Territórios rurais e questão agrária

                 A baixa densidade demográfica da maioria dos territórios rurais e a ênfase dada ao modelo de desenvolvimento urbano industrial levaram à sua depreciação como espaço de investimento para o desenvolvimento do país. O processo de modernização da agricultura trouxe mais produção e produtividade em paralelo ao agravamento das condições socioambientais. Políticas de acesso à terra e de apoio à agricultura familiar têm se tornado mais efetivas nos últimos anos, apesar de ainda distantes de representar melhorias nos indicadores socioeconômicos e ambientais dos territórios rurais. Este conjunto de fenômenos e suas conexões estão em análise nesta linha de pesquisa, combinando temas como justiça agrária, ordenamento territorial e processos políticos de acesso à terra, deslocamento rural-urbano e agricultura urbana, produção limpa de alimentos, processos educacionais do campo, relações de etnia, gênero e geração.